DIVISÃO DE RECURSOS MICROBIANOS

A Divisão de Recursos Microbianos (DRM) do CPQBA foi criada em 2002, com a incorporação de uma equipe de pesquisadores da Fundação André Tosello, instituição particular, sem fins lucrativos, que deixou de realizar atividades de pesquisa. Isto se deu através de um acordo com a reitoria da UNICAMP do período, sob a gestão do professor Hermano Tavares.

A Divisão de Recursos Microbianos contou com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP – que permitiu a sua implantação em espaço físico já existente e a compra de equipamentos e insumos, visando principalmente à estruturação de uma coleção de micro-organismos originados de amostras ambientais e processos industriais, assim como o início das atividades de pesquisa correlatas.

Junto com os pesquisadores, foram incorporados também ao CPQBA alguns equipamentos e projetos que já vinham sendo desenvolvidos na Fundação André Tosello, dentre eles o Projeto Biota e o Projeto Genoma Funcional da Xylella fastidiosa, ambos financiados pela FAPESP, além do projeto Rede Nacional de Sequenciamento da bactéria Chromobacterium violaceum, financiado pelo CNPq.

A equipe contratada deu início à implantação da DRM no CPQBA e a criação da Coleção de Culturas Microbianas, atualmente conhecida como Coleção Brasileira de Micro-organismos de Ambiente e Indústria (CBMAI).

A Divisão de Recursos Microbianos está atualmente sob a coordenação da pesquisadora Dra. Valéria Maia Merzel, que atua, juntamente com sua equipe, nas linhas de pesquisa de ecologia molecular microbiana, sistemática microbiana, microbiologia aplicada e microbiologia ambiental.

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA DRM

Além de projetos de pesquisa, financiados tanto por agências de fomento do governo como por empresas privadas, a DRM presta serviços à comunidade acadêmica e industrial. Dentre estes serviços podemos citar a caracterização, tipagem e identificação de isolados de bactérias e fungos por meio da utilização de métodos de taxonomia convencional, os quais são baseados nas características morfológicas e bioquímicas, e de taxonomia molecular, baseados na análise filogenética de sequências de DNA e fingerprints genéticos.

Recentemente, a Divisão de Recursos Microbianos implementou uma linha de serviço que permite a caracterização de comunidades microbianas em amostras ambientais utilizando metodologias independentes de cultivo. Exemplos de serviços realizados através desta abordagem incluem a caracterização da microbiota presente em lodo de efluente de refinaria de petróleo, comparação de comunidades bacterianas de biorreatores alimentados com esgoto sanitário e com água de lavagem de granja, caracterização de biofilmes presentes em máquinas de processamento de papel e a caracterização da composição da comunidade microbiana em amostras de produtos utilizados como fertilizantes ou biorremediadores.

Pesquisadores e profissionais relacionados a importantes universidades e indústrias brasileiras e multinacionais frequentemente utilizam os serviços da DRM.

A DRM oferece também cursos e treinamentos nas suas áreas de atuação, incluindo: manipulação, preservação, caracterização e identificação de micro-organismos, bem como estruturação e gerenciamento de coleções microbiológicas.

PESQUISAS NA DIVISÃO

A DRM conta hoje com uma equipe composta por três pesquisadores doutores, três técnicos, três bolsistas, diversos alunos de iniciação científica e de pós-graduação (mestrandos e doutorandos) e pós-docs.

Além das linhas de pesquisa já citadas anteriormente, pesquisas recentes e profícuas na Divisão de Recursos Microbianos, em colaboração com outras instituições de pesquisa, estão relacionadas às áreas de bioprospecção e metagenômica microbiana. A primeira buscando compostos produzidos por micro-organismos que apresentem atividade biológica de interesse tecnológico, e a segunda como poderosa ferramenta de prospecção da diversidade microbiana sem a necessidade de dispendiosos e demorados processos de isolamento e cultivo dos micro-organismos.

O desenvolvimento de projetos acadêmicos, assim como a prestação de serviços, contribui continuamente para o incremento do número de micro-organismos depositados na CBMAI, alocada na Divisão de Recursos Microbianos, os quais podem vir a ser alvo de projetos de pesquisa subsequentes visando sua exploração tecnológica, ou distribuídos a outros profissionais, tanto na comunidade acadêmica quanto na indústria.

COLEÇÃO BRASILEIRA DE MICRO-ORGANISMOS DE AMBIENTE E INDÚSTRIA – CBMAI

A criação da CBMAI teve como objetivo o estabelecimento de um núcleo de profissionais especializados e recursos biológicos capazes de suprir a demanda de pesquisa em diversidade e sistemática microbiana, bem como a prestação de serviços ligados à microbiologia ambiental e industrial no país.

A exploração da diversidade genética e metabólica dos micro-organismos visando à obtenção de produtos biotecnológicos vem sendo realizada há décadas na pesquisa mundial. Entretanto, para o desenvolvimento dessas atividades, culturas microbianas viáveis, puras e autenticadas precisam estar disponíveis para a comunidade. Assim, procedimentos específicos para aquisição, manutenção e distribuição envolvendo material biológico microbiano são exigidos nas coleções de serviço, os quais devem ser implementados para que estas coleções alcancem boas práticas com relação aos serviços oferecidos.

A implantação destes procedimentos operacionais na CBMAI vem sendo realizada, desde o princípio, de acordo com as recomendações internacionais (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OECD e Sistema de Acesso Comum a Recursos Biológicos e Informação – CABRI) para operação e gerenciamento de Centro de Recursos Biológicos (CRB) Microbianos.

A CBMAI tem como missão se consolidar como um CRB na área de meio ambiente e indústria, oferecendo serviços especializados de preservação, distribuição, caracterização e identificação de material biológico microbiano, a fim de atender às necessidades das comunidades científica e industrial do país. Para tanto, a CBMAI possui a operação e o gerenciamento baseados em sistemas informatizados, protocolos internacionalmente reconhecidos e com base na norma ISO 17025, como pode ser verificado em sua política da qualidade: “Realizar suas atividades laboratoriais na área de microbiologia ambiental e industrial, enquanto CRB, melhorando continuamente os processos, atendendo à regulamentação vigente, à NBR ISO/IEC 17025 e às Diretrizes de Boas Práticas para CRB da OCDE, visando a satisfação dos clientes por meio do comprometimento da alta direção e de todos os seus colaboradores com esta política, e com os objetivos da qualidade”.

“Atualmente o número total de linhagens registradas no acervo principal da CBMAI é de  aproximadamente 1.900, cujo potencial para utilização em diversas áreas da biotecnologia já está sendo estudado por empresas de grande porte. O acervo abrange micro-organismos restritos aos grupos de risco 1 e 2 (Classificação Européia, Diretiva 93/88/EEC), incluindo arqueias (halofílicas), bactérias, fungos filamentosos e leveduras.

A expansão do acervo ocorre mediante o encorajamento de depósitos de linhagens microbianas derivadas de projetos de pesquisa acadêmica ou de importância industrial e ambiental, assim como da aquisição de culturas microbianas a partir de Coleções Microbiológicas nacionais e internacionais. Os processos de verificação de pureza, autenticação, preservação por métodos de longa duração, informatização e gerenciamento do acervo dentro de um sistema de qualidade constituem alicerces fundamentais para que a CBMAI possa garantir a qualidade de suas linhagens.

Além disso, a coleção também é responsável pelo acervo de pesquisa, o qual conta com cerca de 4.500 isolados, dentre actinomicetos endofíticos, fungos filamentosos associados a corais e bactérias de reservatórios de petróleo, isolados da Antártica e de ambientes salinos, e 155.000 clones metagenômicos. Este rico material genético está destinado a futuros estudos de bioprospecção, e será transferido para o acervo principal conforme resultados positivos forem obtidos.

As culturas microbianas podem ser fornecidas pela CBMAI para instituições públicas ou privadas e/ou indústrias com competência comprovada para manipulação do material solicitado.

Para o gerenciamento do acervo de micro-organismos, a CBMAI dispõe de um sistema informatizado para coleções microbiológicas desenvolvido pelo Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA, denominado micro-Sicol. O mesmo foi desenvolvido com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e permite a documentação online do acervo e seus processos com rastreabilidade de informações, como dados de origem, depositante, condições de cultivo, propriedades e aplicação biotecnológica. Através da integração com o sistema SIColNet e speciesLink, a coleção pode disponibilizar seu catálogo para acesso externo, permitindo consultas online.

A CBMAI pretende, para os próximos anos, expandir o seu acervo por meio da incorporação de organismos relevantes para estudos científicos e aplicações tecnológicas, captar recursos humanos especializados, implementar novas técnicas de taxonomia microbiana, incrementar as informações associadas ao acervo por meio da realização de estudos taxonômicos e biotecnológicos e continuar participando de editais e projetos direcionados. No momento, a equipe técnica vem se empenhando na consolidação do Sistema de Gestão da Qualidade e na acreditação da Coleção como Centro de Recursos Biológicos (CRB) - Área Ambiente e Indústria. 

Menu